Sobre o Vinho Verde
Sobre o Vinho Verde

O Vinho Verde é único no mundo.

A frescura vibrante, a elegância e leveza, a expressão aromática e gustativa, com destaque para as suas notas frutadas e florais, são as características que definem e diferenciam o Vinho Verde.

Exclusivamente produzido na Região Demarcada dos Vinhos Verdes, no noroeste de Portugal, é produzido somente a partir das castas autóctones da região, preservando a sua tipicidade de aromas e sabores tão diferenciadores a nível mundial.

Desde o Vinho Verde produzido a partir da criteriosa junção de várias castas seleccionadas, ao Vinho Verde varietal, produzido a partir de uma única casta, a oferta da Região é diversificada. Juntam-se ainda as grandes aguardentes e os espumantes de Vinho Verde.

Os Vinhos Verdes brancos apresentam cor citrina ou palha, aromas ricos, frutados e florais, dependendo das castas que lhes dão origem. Na boca são harmoniosos, intensos e evidenciam uma grande frescura.

Os Vinhos Verdes rosados revelam uma cor levemente rosada ou carregada, aromas jovens, frescos, lembrando frutos vermelhos. O sabor é harmonioso, fresco e persistente.

Os Vinhos Verdes tintos apresentam cor vermelha intensa e, por vezes, espuma rosada ou vermelha viva, aroma vinoso, com destaque para os frutos silvestres. Na boca são frescos e intensos, muito gastronómicos.

O Espumante de Vinho Verde mantém o perfil de prova do Vinho Verde, sendo reforçadas as características de frescura aromática, associada a uma maior complexidade gustativa. A preferência de consumo dita a escolha, desde um Espumante Bruto Natural ao Espumante Doce, em função da concentração de açúcar residual, ou entre um Reserva ao Grande Reserva, mediante o tempo de estágio em garrafa.

A Aguardente Bagaceira de Vinhos Verde apresenta um aroma e sabor muito acentuados, provenientes dos óleos essenciais existentes nas películas e graínhas das uvas, que são tanto mais evidentes quanto maior for a quantidade de princípios aromáticos. As aguardentes bagaceiras, sem estágio em casco, são as mais tradicionais da Região. Não apresentando coloração, a sua principal distinção encontra-se nos aromas intensos e expressivos a bagaço, fazendo lembrar, por vezes, fruta cristalizada.

A Aguardente Bagaceira Velha conta em média com pelo menos 1 ano de envelhecimento em casco e a Aguardente Bagaceira Velhíssima com pelo menos 2 anos. Estas apresentam uma cor que vai desde o amarelado ao topázio, aromas e sabores intensos e finos a madeira.

A Aguardente Vínica de Vinho Verde, fruto da destilação dos vinhos, é envelhecida em casco. As características aromáticas e gustativas resultantes deste estágio melhoram não só a cor, do amarelado ao topázio, mas também o aroma e o sabor, ficando mais complexas e suaves. Encontram-se Aguardentes Vínicas com várias categorias de envelhecimento:

- Velha Reserva: pelo menos 2 anos de envelhecimento em casco

- Velhíssima: pelo menos 3 anos de envelhecimento em casco

- VSOP (Very Superior Old Pale): pelo menos 4 anos de envelhecimento em casco

- XO (Extra Old): pelo menos 6 anos de envelhecimento em casco